Skills

O módulo de gestão de competências funcionará na base de um portefólio de perfis profissionais das funções existentes que permitirá identificar as competências requeridas para o desempenho da função e que melhorará a eficiência e eficácia da organização.
Associando os perfis à avaliação das competências dos colaboradores, permitirá identificar os desvios entre as competências requeridas e as competências reais dos colaboradores.

Funcionalidades:

  • Descrição dos perfis profissionais da função:

A descrição do perfil profissional define o conjunto de saberes, saber-fazer e saber-estar que o indivíduo deve teoricamente dominar para desempenhar a função em questão. 
O conjunto de saberes que podem ser mobilizados em situação de trabalho define as competências. As competências podem ser de três domínios, designadamente, saber, saber-fazer e saber-ser (social e relacional).
Os saberes-fazer técnicos referem a operacionalização dos saberes, ou conhecimentos, e integram a utilização dos instrumentos e métodos nos processos cognitivos.
Os saberes referem os conhecimentos disciplinares organizacionais, sociais, sobre os materiais, produtos e processos.
Os saberes-ser (sociais e relacionais) referem as atitudes, qualidades pessoais e relacionais no que diz respeito à disposição para agir, reagir, interagir com os outros e com as situações de trabalho.

A identificação das competências necessárias é feita através da análise e interpretação das funções e das atividades que lhe estão inerentes. A partir desta análise deduzem-se as competências que deverão ser mobilizadas no exercício da função. A correspondência das atividades com as competências é feita inicialmente através da identificação dos saberes-fazer técnicos e, a partir destes, identificam-se os saberes.



Identificação das competências Saber, Saber Fazer e Saber Ser:

Os saberes-fazer técnicos e saberes correspondem às competências específicas de uma determinada função, sendo, desta forma, diferentes entre funções e contextos de trabalho específicos. Os saberes-fazer sociais e relacionais traduzem as competências transversais a todas as funções na organização, estando, desta forma, desprovidas de especificidades profissionais e situacionais.


Definição de fatores, subfatores e níveis de proficiência que servem de base para a avaliação das competências:


Atribuição automática de competências aos colaboradores quando a função é identificada. 


Adição de atividades e competências do colaborador, não associadas ao perfil profissional.


Outputs:

A avaliação das competências (específicas e transversais) dos colaboradores, em comparação com as competências requeridas no perfil profissional para a sua função, permite a identificação do gap de competências entre o desejável e o existente. É com base neste gap que é possível identificar as necessidades de formação dos colaboradores.